Empréstimo, Cartão, Crédito, Consignado e Financeiras

Refinanciamento Credicard de ImóvelQuem “precisa de dinheiro rápido” quando está financeiramente desequilibrado, e busca auxílio no mercado financeiro, vai se esbarrar praticamente nas mesmas modalidades esplanadas exaustivamente no emprestimoconsignado.com.

Conseguir crédito pré-aprovado fica por conta da agência bancária, utilizando o limite de crédito e/ou no cartão de crédito, ambos liberam dinheiro instantâneo, porém com altas taxas de juros, fora estas alterantivas, o tomador de crédito pode recorrer aos “empréstimos pessoais, aos créditos consignados e às financeiras de bancos”.

Apesar de todos nós sabermos que o mais conveniente é economizar uma parte dos recebimentos (salários, soldos, contra-cheques, comissões etc.) e guardar uma pequena parte, e usarmos em um momento emergencial ou para simplesmente comprar o objeto do desejo à vista, sem recorrer ao crédito pessoal ou empréstimos.

O ideal é nunca precisar obter dinheiro tomando emprestado a bancos e financeiras com juros, mas se não tiver jeito, recorrer a essas modalidades de crédito apenas em alguma eventual necessidade, em especial as de saúde, inclusive, essa por sinal é a única situação em que recorrer as essas modalidades de crédito valem a pena.

Comparando o “empréstimo pessoal e o crédito consignado”, concluimos que crédito consignado oferece taxa de juros muito mais baixas e concessão de crédito sem burocracia, porém, não deixe de observar que o desconto mensal é feito diretamente na folha de pagamento (salário ou benefício) e depois de concretizado não tem como deixar de pagar. Outra desvantagem acontece quanto o tomador resolve renegociar a dívida para valores menores, não há como renegociar.

A maioria dos consumidores de “Empréstimo, Cartão, Crédito, Consignado” acabam recorrendo aos empréstimos para realizar a portabilidade de crédito para diminuir o montante das dívidas. A portabilidade acorre quando o consumidor obtém um empréstimo com juros menores e paga dívidas que têm juros bem maiores, como as do cartão de crédito por exemplo.

Essa operação financeira na realidade pode ser eficaz para esse objetivo, mas se o consumidor não fizer uma análise real da situação financeira, e principalmente rastrear e identificar os motivos que acarretaram as dívidas, o problema não será resolvido, apenas acontecerá a troca de credor.

Seja qual for a modalidade de crédito que você contrair os empréstimos, faça com cautela e inteligência.

[ad#468]

3 Comentários

  1. sergio oliveira
  2. Suely Santos
  3. Raimundo de Nazaré

Comente Aqui!