Contratação de Empréstimo Consignado

Pegar um empréstimo consignado ou crédito pessoal de qualquer modalidade, a princípio deve ser bem pensado antes de ser solicitado, mesmo porque, o empréstimo nada mais é do que usar um quantia em dinheiro gasto agora, que terá de ser pago em diversas vezes com juros em cima do valor principal.

Contratação de emprestimoPor isso alguns cuidados precisam ser tomados em qualquer modalidade de empréstimo, tanto feito em instituições financeiras ou promotoras de crédito, seja pessoalmente ou por telefone via contrato por correio.

Mesmo na contratação do empréstimo consignado as precauções básicas para uma operação segura deve ser seguidas. Para se proteger e minimizar de possíveis dores de cabeça, o próprio “Banco Central” dá dicas de como fazer um empréstimo sem problemas.

1) – Nunca forneça o cartão magnético (o que recebe o benefício) ou a senha do cartão para terceiros;

2) – Não contrate empréstimo consignado sem antes fazer uma pesquisa séria sobre as taxas de juros e condições oferecidas por 3 ou 4 instituições diferentes;

3) – Verifique se realmente a instituição bancária ou financeira está devidamente autorizada pelo Banco Central e conveniada com o INSS para conceder o empréstimo consignado com o desconto em folha;

4) – Prefira fazer o empréstimo com agências bancárias, correspondentes ou agentes de crédito credenciados, não aceite a intermediação de pessoas físicas que prometem desenrolar o processo para liberação de crédito;

5) – Evite emprestar seu nome para solicitar empréstimo para outras pessoas, mesmo que sejam amigos ou parentes próximos;

6) – Quer contratar um empréstimo consignado? Então lembre que essa modalidade de crédito apesar de ter juros baixos é uma dívida que terá que ser paga, e que dependendo da desconto mensal poderá afetar a administração da renda pessoal e familiar por um bom tempo.

7) – Não comprometa sua renda mensal com pagamentos de empréstimo maiores do que você pode arcar.

Até que mudem as regras para o empréstimo consignado, os órgão competentes limitam os juros máximo em até 2,34% ao mês, e de 3,36% ao mês para o cartão de crédito consignado (quando é concedido por meio de cartão de crédito, com limite igual ao porcentual do benefício que o beneficiário pode assumir, conhecida como “margem consignável”).

A taxa máxima do empréstimo corresponde ao custo efetivo total (CET), que inclui todas as tarifas cobradas do solicitante, além disso, as parcelas não podem ultrapassar o limite de até 30% da renda líquida do beneficiário aposentado ou pensionista, no caso do empréstimo, e de 20%, no caso do cartão consignado.

4 Comentários

  1. josé antonio apolinario
  2. nely pacheco
  3. Marcelo
  4. almir pereira de lima

Comente Aqui!