Redes de Empréstimos “Person to Person”

“Person to Person” ou “Peer-to-Peer” de Empréstimos

Rede de empréstimosÀ medida que precisamos de dinheiro e nos deparamos com dificuldades de obtenção dizemos, o que fazer nessa situação? Não sou um expert em mercado financeiro ou de crédito ao varejo, mas consigo entender que o Brasil está anos atrasado em relação aos tipos de créditos, meios de contratação e modalidades de empréstimos oferecidos na Europa e América, principalmente quando se fala em spread, consolidação, comissões e acesso ao crédito.

Uma nova onda esta surgindo no mercado de empréstimo e financiamento e a Internet é uma das molas propulsoras para pessoas que precisam conseguir dinheiro emprestado.

Para fugir das burocracias e imposições dos empréstimos bancários, estão surgindo “Redes sociais de empréstimos” entre pessoas (físicas ou particulares) em toda a Europa. As transações são feitas online.

Particulares lançam Rede de Empréstimos Pessoal Online

Só como exemplo: na Espanha foi recentemente criado o “Person to Person” ou “Peer-to-Peer Lending” uma plataforma de empréstimo online direcionada para pessoa que têm dinheiro para emprestar e investirem, também serve para todos aqueles que precisam tomar dinheiro emprestado em forma de financiamento, a mediação do processo é feita por uma empresa espanhola chamada, Comunitae.

Apesar da rede de empréstimo não ser regulamentada legalmente, existem dois tipos de taxas cobradas, uma é para as pessoas que pedem o empréstimo pessoal, têm que pagar um taxa de comissão 5% pelo serviço de crédito e a outra para quem empresta, paga uma taxa de 1% sobre o valor do montante.

As Redes Sociais de Empréstimos tem se espalhado também em países como Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Polônia. No Brasil ou em Portugal ainda não se ouviu falar da existência de alguma plataforma de empréstimo estilo rede “Person to Person”.

A idéia de montar plataformas de redes sociais de empréstimos entre particulares pode até parecer boa para resolver problemas financeiros de momento, mas como em toda operação financeira essa também possui riscos que precisam ser gerenciados e controlados. Mas como alternativa de obtenção de empréstimo alternativo sem intervenção de instituições financeiras. Estão de parabéns pela iniciativa.

Obs. Imagina este tipo de operação financeira no Brasil, o que uma rede social de empréstimos deste tipo poderia representar para a população? Seria um solução ou um problema? O que você acha? Deixa sua opinião.

[ad#468]

3 Comentários

  1. Felipe Mendonça
  2. Levi Monteiro
  3. Levi Monteiro

Comente Aqui!