Empréstimo Pessoal, pegadinhas e requisitos?

Pegue um empréstimo pessoal, mude a conta-salário de banco, as pegadinhas são grátis, não esqueça de cumprir os requisitos, em troca ganhe juros quase baixos!

Desde que começaram a onda de redução de taxas de juros nos empréstimos pessoais que teve início a partir do Banco do Brasil, depois Caixa Econômica e seguido posteriormente pelos demais bancos privados. Nós estamos mensionando através de artigos e posts quase que diariamente essa evolução.

Emprestimo pessoalPassados cerca de 20 dias depois de puchado o gatilho, somente agora que podemos ver o que realmente está acontecendo nesse mercado de crédito tão competitivo, em um artigo anterior chamamos essas medidas de redução de juros de “Virtualização dos Juros”, e agora podemos realmente entender que isso está acontecendo.

Na internet, temos visto em vários blogs e portais reportando a insastisfação dos clientes em relação as novas taxas de juros informadas pelos bancos, na sua maioria estão completamente decepcionados.
A reclamação mais comum e que evidência uma pequena trama entre as linhas, está justamente na concessão do crédito, usufruir dos menores percentuais que estão sendo anunciados nas propagandas em todos os meios de comunicação é acessível apenas para poucos.

A princípio o cliente interessado, tem que se submenter cumprindo uma série de requisitos impostos pelos bancos, que no geral não está sendo informado com antecipação. As “pegadinhas do juros baixos” em diversos bancos, tanto privado quanto públicos, vão desde a aplicação da taxa de juro menor somente para crédito pessoal, empréstimos e financiamentos contraídos a curto prazo, até a exigência de tempo mínimo de conta bancária na instituição ou abertura de uma nova.

Linha do tempo da redução do juros bancários:

No dia 04, o Banco do Brasil foi o primeira banco que anunciou a redução das taxas de juros para o crédito consignado, crédito direto ao consumidor (CDC) e financiamentos de veículos. Um dia depois, a Caixa também anunciou a redução de juros, mas foi além dos financiamentos para bens, reduziu também as taxas de cheque especial e cartões de crédito.

Emprestimo pessoal taxa baixaSem muita escolha, a maioria dos principais bancos privado, pressionados pelas medidas do governo federal através dos bancos públicos, decidiram também baixar suas taxas de juros, em especial nas linhas de financiamento de veículos, crédito consignado e CDC. Na semana passada a Caixa e o BB resolveram novamente reduzir suas taxas para ficarem em primeiro lugar em taxas baixas. A pergunta que não quer calar – O que adianta tudo isso se o cliente não vai ser beneficiado de verdade, tratasse de um estratégia que já virou uma guerra financeira de interesses e que só um lado vai perder, o fraco.

A propaganda é massiva, os bancos enfatizam a taxa mínima que está sendo praticada numa determinada operação, porém , o valor real e cálculo da taxa é feita de acordo com o perfil do cliente ou proponente. Só para termos uma idéia, a Caixa destribuiu panfletos divulgando os menores juros para o cheque especial, a partir de 1,35% ao mês, o que não deixa de ser verdade, o que não foi divulgado para o cliente, é que ele além de ter que abrir uma conta na Caixa, em alguns casos, só iria usufruir do benefício com taxa de 4,45% mensal no limite da conta, é claro se aprovada.

O que esta acontendo na “virtualização dos juros”? Para ter acesso as taxas verdadeiramente baixas, os clientes têm que ter um tempo relacionamento com o banco, pelo menos um ano,  e para clientes que receba salário na Caixa, a taxa do cheque especial pode cair para 3,5% ao mês.

Então o podemos fazer, simples, antes de fazer qualquer operação relacionada a mudança de conta-salário, portabilizar o seu crédito, mudar de instituição para obter essas tal taxas de juros menores, pesquise, analise, questione se realmente vai valer a pena, caso contrário você vai fazer parte de uma grande “embromecham do crédito”, aonde o único interesse é ter você como mais índice numérico do banco.

Comente Aqui!