Empréstimos, Crédito, Dívidas e Inadimplência

Dividas de EmpréstimosVocê tem alguma dívida de Empréstimos ou Financiamento em bancos e Financeiras? Se não tiver, parabéns. Você tem dívidas de Cartão de Crédito a vencer? Com certeza têm, esse é o cenário que esta visivelmente estabelecido em todo país, quem ainda não pegou algum empréstimo, vai pegar, quem não pegou é porque não pôde ou já esta todo comprometido e a maioria das pessoas tem dívidas no cartão de crédito.

Olhando a grosso modo entendemos que uma coisa vai ser inevitável, a inadimplência. O endividamento da população nos dias atuais tem opiniões diferentes tanto pelos analistas financeiros quanto o governo federal.

Por um lado o governo cria a expectativa de nos próximos meses haverá estabilidade financeira e econômica para todos, já os analistas financeiros especializados, dizem que a alta taxa do juro e o crescimento do crédito principalmente nas classes C e D fazem o cenário se tornar preocupante e alertam que a inadimplência no crédito provavelmente irá aumentar.

A dificuldade na contenção das despesas fica pior quando a pessoa não possui mecanismos e nem educação financeira para entender quando a situação é extrema, normalmente o devedor só consegue enxergar os sinais de alerta do risco de não conseguir honrar seus compromissos financeiros e pagamento habituais quando a situação já está mais do que crítica.

Salvo quando acontece um caso de doença na família, de morte ou desemprego involuntário que não tem muito o que fazer esses tipos de imprevistos em geral causam ou aumentam a chance da família ou da pessoa ficar inadimplente com algum tipo de crédito. Mas, nos casos como ter que cobrir o saldo negativo da conta corrente com o cheque especial, pagar o cartão no crédito rotativo no valor mínimo são pequenos sinas ou alertas de que as coisas não estão boas.

Outro alerta é quando a pessoa precisa recorrer a qualquer outro empréstimo para poder saldar dívidas já existentes.

Em geral a inadimplência é gerada pelo uso inadequado do “cartão de crédito, de limite de crédito, de empréstimos e financiamento em bancos e financeiras” por serem as modalidades de crédito mais caras, entre 13,99% e 7,24%.

Uma prática que muitos têm recorrido é manter contas bancárias em várias instituições para conseguir virtualizar seu poder de compra. O alerta aqui começa quando os bancos começam a restringir ou recusar a ampliação do limite de crédito. As vezes o devedor acaba esquecendo que as instituições bancárias sabem qual é a capacidade real de pagamento do cliente, e é óbvio que se não estão concedendo mais crédito ou empréstimos, é porque a pessoa já está no limite de risco para o banco.

Pedir empréstimo para amigos e parentes ou começar a vender bens como imóveis ou veículos para pagar dívidas, sem dúvida nenhuma é um alerta para parar tudo e pensar em uma solução definitiva para sair do sufoco.

Quer saber se está correndo risco de ficar inadimplente? O cálculo é simples, se as suas despesas financeiras com o pagamento de “crédito, empréstimo ou financiamentos” é maior que 50% da renda obtida mensalmente ou a dívida ativa ultrapassa cinco vezes a renda, é certo que a inadimplência bate a porta.

O risco de inadimplência com gastos de consumo também é preocupante quanto o devedor usa o limite de crédito, cartão de crédito ou obtém empréstimo para saldar dívidas de consumo como água, luz e telefone ou para pagar as despesas domésticas do dia-a-dia ou de alimentação.

Os recursos de um empréstimo pode ser melhor utilizado quando for direcionado para pagamento efetivo de dívidas financeiras com custos maiores ou quando for utilizado para fazer investimentos em negócios que tragam retorno financeiro futuro.

O sinal mais visível para quem têm dívidas de empréstimos e financeiras e não esta encontrando meios de saldá-las é o comportamental, se a pessoa não consegue dormir bem, esta com ansiedade ou começou a se desgastar com a família, tudo isso indica que a situação financeira pode estar ficando crítica.

Então, se você está pagando muitos empréstimos, seja empréstimo pessoal, consignado ou financiamentos e já comprometeu boa parte do seu salário, benefício ou sua margem consignável, talvez seja a hora de parar tudo e começar a reconstruir sua vida financeira de maneira inteligente do zero.

[ad#468]

Comente Aqui!