Financiamento de Carro sem Entrada

Financiamento de carrosTodos lembram ha pouco tempo atrás o emprenho do governo federal em ajudar o “segmento de vendas de veículos” com a redução do IPI, e com certeza nunca se viu vender tanto carro com financiamento de carro sem entrada, com juros, sem juros, à vista, em parcelas a perder de vista, enfim, foi um sucesso. 

Agora parece que os tempos mudaram e a solução de crédito também vai mudar, o que antes era fácil, já têm os dias contados, em breve os consumidores que quiserem comprar um carro financiado sem entrada vão ter mais dificuldades devido a regras impostas pelo BC. 

De acordo com as novas normas que foram anunciadas pelo Banco Central, os financiamentos de carros terão restrições nos recursos para a compra financiada com prazo superior a 24 parcelas (meses). 

O comprador de carro terá de desembolsar uma porcentagem do financiamento como entrada. Com as restrições do BC, a partir de agora os bancos e financeiras devem exigir uma entrada de pelo menos 20% para os financiamento de carro novos e usados com prazo entre 24 e 36 meses. Para financiamentos de carros entre 36 e 48 meses o consumidor terá que dar uma entrada de 30% e entre 48 e 60 meses, um pouco maior, 40%. 

Vale lembrar que as restrições para financiar a compra de carros com prazo superior a 60 meses, já possuem restrições independentemente de dar entrada ou não. 

O BC  pretender restringir as operações com a exigência do aumento do valor da reserva de capital para 50% a mais do que o praticado hoje para garantir que os empréstimos se concretizem. Atualmente para cada R$ 100 financiado, os bancos precisam ter uma reserva no BC de R$ 11. Para os financiamentos considerados longos ou com garantias insuficientes, o valor da reserva aumenta para R$ 16,50 para cada R$ 100. Na prática essas operações diminuem os recursos para emprestar no caso do banco a fizer. 

Não faz muito tempo quando o BC também interviu nas operações dos “empréstimos consignados” acima de 36 meses, no crédito pessoal e no crédito direto ao consumidor para aquisição de bens com mais de 24 meses para pagar, me lembro que no empréstimo consignado, muitas empresas quebraram, milhares de pastinhas ficaram a ver navios, e dezenas de empresas se esforçaram para não fechar devido a redução drástica da comissão por operação e prazo. 

Mas uma vez vemos o cenário se repetir. A intenção do BC é fazer com que os bancos fiquem desestimulados em oferecer alguns tipos e planos de financiamento, se o fizer o financiamento, se tornará muito caro e desinteressante para a instituição financiadora. A medida vale apenas para novos financiamentos de carro concedidos a partir da próxima segunda-feira, 06/12. 

Essa iniciativa do BC restringe somente operações que envolvem o crédito ao consumo, os prazos para crédito imobiliário, crédito rural ou aquisição de veículos de carga com capacidade de transporte acima de duas toneladas, como caminhões não sofrerão com a restrição. 

O fornecimento de crédito para empresas também não houve alteração.

41 Comentários

  1. paulo cesar oilveira dos santos

Comente Aqui!